sexta-feira, 10 de abril de 2009

Evangelho

Já fui muito religioso, não suportava ideias contrarias as "minhas", e também me afastava de toda pessoa "diferente", não imaginava estar no meio de pessoas que eu julgava serem "pecadoras" e que para mim não passavam de "escarnecedores", com o tempo, nem eu me aguentava mais, me tornei tão chato, e com uma energia tão negativa, que percebo hoje, que era insuportável minha presença, mais o tempo foi se passando e eu sabia que algo em mim não tinha a ver com o evangelho de Jesus, era muita paranóia minha, mais a verdade é que minha alma estava tão doente, que nada pra mim fazia sentido, por um lado via que meu modo de pensar estava me levando a loucura, por outro eu via que era assim que a religião que eu estava pensava, então ou era eu o problema, ou era simplesmente aquilo que eu tinha engolido goela abaixo sobre "Deus" que era uma grande mentira! hoje com a mente mais esclarecida e longe totalmente longe da religião, que eu percebo o mal que o fanatismo faz a alma, faz o homem virar uma criança, e ao invés de fazê-lo crescer, cada vez mais o infantiliza, o meu conselho é que homem algum venha a ter religião, Jesus que é a vida.....a religião é um pirolito!

3 comentários:

Melo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafael Melo disse...

E ai blz! Gostei de seu texto! Bem o que penso! Sabe grande parte dos indivíduos vivem alienados a uma doutrina e esquecem da caridade.Porém é necessário crer em algo, pois é dificil pensar que tdo isso surgiu do nada!Parabens pelo texto!

Leandro Pereira disse...

Interessante reflexão, vem de frente à minha crença. Acredito que somos Cristãos e não somos Cristícos como deverísmos ser.